Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Notícias

Distrito Federal é a primeira UF a receber do Ministério da Saúde a certificação na Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil

Três Unidades Básicas de Saúde e duas equipes da Estratégia de Saúde da Família do Distrito Federal receberam em julho a placa de certificação na Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB) do Ministério da Saúde. O DF foi a primeira UF do país a receber a certificação na estratégia, criada em 2012 pelo Ministério da Saúde com o objetivo de qualificar o processo de trabalho dos profissionais da atenção básica para apoiar e estimular, na população atendida, a amamentação de crianças até dois anos ou mais, sendo aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses, e a alimentação complementar saudável a partir do sexto mês de vida.

O Distrito Federal tem hoje 124 tutores da EAAB, formados após a realização de sete oficinas. São 35 UBS e 50 equipes da ESF capacitadas. As cinco unidades que cumpriram os requisitos e foram certificadas são: Centro de Saúde nº 01 da Candangolândia; Centro de Saúde nº 15 da Vila Planalto; Centro de Saúde nº 08 de Taguatinga; Equipe da ESF nº 27, do centro de saúde nº 01 da Diretoria Regional de Atenção Primária à Saúde do Gama; e equipe ESF nº 06 quadra 18, da Diretoria Regional de Atenção Primária à Saúde do Paranoá. Juntas, as três UBS e as duas ESF são responsáveis pelo atendimento de 48.500 pessoas no DF.
A cerimônia de entrega das placas foi realizada no auditório da SES/DF e contou com a presença do Secretário de Saúde, Elias Miziara, que dedicou todo o mérito da conquista aos trabalhadores da saúde do Distrito Federal. “Em nome do GDF e da Secretaria de Saúde, eu parabenizo e agradeço a todos os servidores da saúde do DF que batalharam para levar esses benefícios para a sociedade e nos honraram com tamanho reconhecimento do Ministério da Saúde”, disse o Secretário.
A coordenadora das ações de aleitamento materno da Coordenação-Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno (CGSCAM) do Ministério da Saúde, Fernanda Ramos Monteiro, afirmou que não foi a primeira vez que o DF se destacou pelo pioneirismo em ações direcionadas à saúde da criança. ‘Antes de ser a primeira Unidade da Federação a receber a certificação na Amamenta e Alimenta, Brasília se destacou como única cidade do mundo autossuficiente em leite humano para recém-nascidos prematuros internados, graças ao trabalho das equipes dos bancos de leite humano, dos profissionais de saúde e dos bombeiros do DF”, disse Fernanda.
Fernanda também destacou a importância da criação da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil como resultado da integração de duas ações importantes do Ministério da Saúde: a Rede Amamenta Brasil, antes coordenada pela CGSCAM, e a Estratégia Nacional para a Alimentação Complementar Saudável (ENPACS), que era coordenada pela Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição (CGAN) do Ministério da Saúde.
A Coordenadora Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Constante Jaime, ressaltou a importância da EAAB para o Ministério da Saúde e parabenizou as equipes e unidades certificadas em nome do Ministro Arthur Chioro. Ela afirmou que esse trabalho não seria possível sem a integração das duas coordenações do Ministério da Saúde responsáveis pela Estratégia (CGSCAM e CGAN), e sem a parceria com o GDF, que participou da primeira oficina-piloto com o Centro de Saúde nº 01 da Candangolândia. “O trabalho conjunto da CGAN com a Saúde da Criança e parceria com o GDF para os primeiros passos foi essencial para levar adiante a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, que tem envolvido milhares de profissionais e equipes de saúde pelo Brasil, promovendo e apoiando o aleitamento materno e alimentação complementar saudável na população”, disse Patrícia.
Para receber a certificação na EAAB, as unidades devem cumprir os seguintes critérios exigidos pelo Ministério da Saúde: desenvolver ações sistemáticas, individuais ou coletivas, para promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saudável; monitorar os índices de aleitamento materno e alimentação complementar saudável; dispor de instrumentos de organização do cuidado à saúde da criança para detectar problemas em aleitamento materno e alimentação complementar saudável; cumprir a NBCAL e a Lei 11.265 e não distribuir substitutos do leite materno nas unidades; contar com a participação de pelo menos 85% da equipe de atenção básica nas oficinas desenvolvidas; e cumprir pelo menos uma ação de incentivo ao aleitamento materno e uma de alimentação complementar saudável pactuada em um plano de ação.
 
Cristiane Madeira Ximenes
Coordenação-Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno/DAPES/SAS/MS
 
Segue o link: Segue o link: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/sas/sas-noticias/13664-distrito-federal-e-a-primeira-uf-a-receber-do-ministerio-da-saude-a-certificacao-na-estrategia-amamenta-e-alimenta-brasil%20